Este blogue não adoPta o novo acordo ortográfico.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Tábua multiusos I

Há por aí muitas tábuas de queijo à venda, eu até gosto das de ardósia. 
Mas resolvi fazer uma coisa diferente para oferecer a alguém muito especial. Como já lhe tinha oferecido um tabuleiro e uma caixa de guardanapos com hortenses achei que esta tábua combinava na perfeição.
Tem a vantagem de ter um apoio que lhe permite rodar e a desvantagem de ter que lhe colocar um vidro para não riscar a pintura. Mas são apenas pequenas minudências que em nada apagam o brilho que este trabalho tem. Trata-se de uma pintura acrílica em madeira com um craquelado fantástico. Agora também quero uma tábua para mim e vou ter que fazer uma para a mãe querida também a condizer com o tabuleiro e a caixa para guardanapos que há lá em casa. Ideias e mais trabalho. É um nunca acabar. Sabe-se lá é quando tudo isto fica pronto. Nada de pressão sobre a "artista" que mais cedo ou muito mais tarde alguma coisa há-de sair. 
Fica aqui uma foto da tábua ainda sem o vidro.

Tábua multiusos , Pintura acrílica em madeira

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

O presente

O fim das férias de verão trouxe uma surpresa. Um brinde como no bolo rei!
Eis que no fim de um sábado de calor nos apareceram 342g de fofura a que não conseguimos resistir.
E assim, o enjeitado, deixado ao abandono entrou nas nossas vidas e encheu ainda mais os nossos dias. 
Agora dois manos patudos tão diferentes, como todos os manos mas adoráveis entendem-se muito bem, brincam e até hoje nunca estão zangados. Se bem que o grande dá-lhe um chega para lá quando o pequenito está a ser chato. E por vezes ele é bem chato! Nunca arranhou o mano grande e este nunca o pisou ou mordeu. Ladra-lhe quando está farto de o aturar.

E bibbidi bobbidi boo, o "ratito" transformou-se num belo exemplar de felino.

Já está tão grandão, quero ver daqui a mais seis meses, estará enooorme segundo a veterinária. 

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

O meu baú dos tesouros

Como todas as mães, recebemos pequenos grandes presentes dos nossos rebentos no dia da mãe, da mulher, no dia em que lhes apetece, etc, etc. Esses pequenos tesouros andavam espalhados em gavetas, aqui e ali sem local certo e muito longe do local digno que merecem. Vai daí que fez-se luz, foi tão brilhante que quase ceguei, que resolvi que iria pintar uma arca para guardar os miminhos que os meus tesouros me oferecem. Trata-se de uma caixa com tecido nas faces, que de tão feio que era não deveria alcançar a luz do dia. Claro está que as teimosias pagam-se caro e se eu soubesse o que sei hoje nunca a teria escolhido. Pintar em tecido a acrílico não foi de todo um passeio no parque. 
Foi uma tarefa árdua esta caixa, primeiro pelas faces em tecido e segundo porque resolvi escolher um desenho diferente para cada uma das faces, cinco ao todo, ainda por cima escolhi a aurora boreal mais difícil que podia, mesmo sem o saber. Como queria integrá-la na decoração do hall de entrada optei por motivos ligados à água e ao mar que tanto adoro.
Dois faróis um deles com um céu salpicado de estrelas, o favorito do meu príncipe, dois peixes que adorei fazer, os meu favorito, um nenúfar e uma aurora boreal. Esta última de uma complexidade tal que foi na sua maior parte feita pela professora Maria do Céu, naturalmente que sem a sua preciosa ajuda nada disto teria sido possível.
No fundo são cinco trabalhos num é certo mas não via a hora de acabar isto. Uma boa camada de verniz para proteger a obra e voilà pronta para brilhar.
As fotografias tiradas com o telemóvel não fazem jus ao trabalho, mas quando tiver um tempo uso a máquina fotográfica e um dia de sol para uma nova sessão fotográfica.
Eu adoro este trabalho, foi suadinho mas valeu a pena.

Arca do Tesouro

terça-feira, 9 de maio de 2017

A melhor de sempre


É na minha opinião um exemplo do que de bom se faz por cá. Acredito que hoje podemos aspirar a algo mais neste festival da canção. Não me lembro de nada tão bom, tal qual a voz de um anjo. Força Portugal, parabéns Salvador, obrigado por nos permitires sonhar. Não seria fabuloso trazer mais um título para terras lusas? Não somos só futebol.