Este blogue não adoPta o novo acordo ortográfico.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

A Abóbora menina

Marido adorado resolveu fazer o jantar de sexta, ele é extraordinário, e as miúdas cá de casa foram para a sua aula de natação e hidro sem preocupação em ter que alimentar as hostes. Sábado é um dia cheio de actividades e só no fim do dia e numa rápida ida ao "livro da cara" (facebook) deparei-me com uma receita que me chamou a atenção, Bolo de abóbora. Tcha tcha tcha tchaaaaaa. e não é que se encontram coisas bem jeitosas lá pelo livro da cara. A foto do bolo cativou-me e a facilidade de execução ainda mais. 
Ora, havia uma abóbora cá por casa que estava a querer estragar-se, e não estamos, aliás nunca estivemos, em tempo de estragar, seja o que for, no fundo no fundo aproveitei a desculpa da abóbora e das visitas para o almoço de domingo e resolvi fazer o bolo.
O bolo é simples e fácil de fazer, coze num instante e fica húmido q.b. 
Ah, não poderia deixar passar, créditos da receita, sorrisos royal. Vou lá passar mais vezes, tem umas receitas giras e fáceis. 
Agora vamos esmiuçar a receita só um pouquinho. 
1) Arandos, baga da família do mirtilo. Comprei secas tipo passa, no supermercado, podem ser substituídos por passas sem grainha.
2) Estrela de anis: encontra-se no supermercado à venda na secção das especiarias
3) Puré de abóbora macio, acreditem que vale a pena cozer bem a abóbora com a canela e a estrela de anis, dá-lhe um sabor fantástico. Eu cozi uma boa quantidade, tenho o suficiente para mais três bolos. Congelei o resto já em doses pronta a usar.

BOLO DE ABÓBORA E ARANDOS


Ingredientes
  • 4 ovos inteiros L
  • 1,5 chávena de açúcar
  • 1 chávena de café de óleo alimentar
  • 1 chávena de abóbora cozida
  • Raspa de 1 limão
  • Canela em pau e uma estrela de anis
  • 2 chávenas de farinha
  • 1 colher de sobremesa de Fermento em Pó Royal
  • Nozes e arandos secos, a gosto
Preparação

Cozer a abóbora com um pau de canela, uma estrela de anis e uma pitada de sal. Reduzir a um puré fino.
Atenção que a abóbora retém muita água, por isso, convém escorrer bem para não ficar um puré muito aguado.

Misturar os ovos inteiros, o açúcar e o óleo até ficar em cremoso.

De seguida o puré de abóbora e a raspa de limão. Incorporar a farinha e o Fermento aos poucos. No final, as nozes partidas e os arandos.

Levar ao forno a 200 graus, numa forma untada com margarina e farinha, cerca de meia hora.
Decorar com arandos e açúcar em pó.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Paixão por janelas

Presenteei pais adorados com três telas a óleo que demorei quase um ano a terminar. O trabalho meteu-se no caminho e demoraram bem mais do que inicialmente esperado para ficarem concluídas. Assim os quadros acabaram por fazer parte das prendas de Natal. Adoro janelas, e depois de muito procurar escolhi estas três que me pareceram fantásticas. Pintei-as a óleo porque sim, porque gosto e eis o resultado.



Pintura a óleo em tela

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Arrumei o Natal

E pronto, arrumei o Natal, já não há qualquer vestígio vizível. Está tudo devidamente acondicionado nas respectivas caixas e na prateleira dos Arrumos cá de casa destacada para o efeito. Até daqui a 11 meses mais coisa menos coisa. Para a próxima vou reduzir ainda mais nas decorações de Natal. Todos os anos há sempre mais umas quantas coisas que já nem saem da caixa, este ano não foi excepção. Não tenho paciência para arrumar tudo. É uma trabalheira, os miúdos andam numa folia para montar o Natal, já no que toca a desmontar, isso sobra sempre para a mamã. 

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Brr...



O ano iniciou-se frio. Muito frio. Os dias amenos que tivemos em Novembro já eram, aliás viraram-se contra nós e veio o frio. Gosto do Inverno, porque gosto, mas não gosto de ter que cair da cama com este gelo e ir trabalhar, para um sítio longe e gelado. Não gosto de sair de casa ainda escuro, com todos ainda a dormir, tudo coberto por um manto de geada branco e um frio que entra nos ossos e nos congela até a alma. Nem o cão se arrisca a colocar o nariz de fora! Gosto do Inverno quando estamos todos em casa, quentinhos. Gosto dos pequenos almoços especiais, como por cá lhes chamamos, mesa posta a rigor, com panquecas, ovos mexidos, bacon e salsichas, frutas, e por vezes um bolinho acabado de fazer, e de estarmos à mesa um bom bocado, todos, a conversar, a aproveitar cada momento. Mas tenho que trabalhar, que o dinheirinho não cresce nas árvores e as contas não se pagam sozinhas. A vantagem é que graças ao trabalho posso fazer pequenos almoços especiais e um monte de outras coisas que nos fazem felizes, não há bela sem senão.