Este blogue não adoPta o novo acordo ortográfico.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

"Merri cristma" a todos vós

Nada melhor do que a árvore que a minha princesa levou para a escola para servir de mote e desejar um Feliz Natal.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Querido papá

Uma em cada três mulheres será, ao longo da sua vida, vítima de abuso físico ou sexual segundo a World Health Organisation
A campanha "Querido papá, protege-me porque nasci rapariga" da Care Norway pretende sensibilizar para que todos os homens não aceitem, desculpabilizem ou perpetuem qualquer forma de violência de homens sobre mulheres, em qualquer etapa das suas vidas.
Isto é obviamente válido para qualquer pessoa independentemente do seu género, é uma questão de educação, princípio e respeito pelos outros.

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Em busca do espírito Natalício


Estamos em contagem decrescente para o Natal, alguns estão eu, nem por isso, este ano o meu espírito Natalício anda pelas ruas da amargura. Sim já montamos e decoramos a árvore e o presépio está verdinho com um tapete de musgo e este ano levou um upgrade, tem pedras brancas a fazerem caminhos por entre as casas, que os pequenos não deixaram por menos. Mas numa casa com crianças não há como fugir a certas coisas. No entanto as decorações de Natal resumem-se ao mínimo, a coroa da porta de entrada, um pequeno centro na sala de jantar e outro na mesa da cozinha e c'est tout. Tempos houve em que havia luzes por todo lado, arranjos e bolas penduradas até na casa de banho. Muitas das decorações ficaram na caixa eu bem que olhei para elas mas simplesmente não me apeteceu. Estou realmente sem espírito algum, vamos lá ver se o encontro até à próxima semana.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Para mais tarde recordar

A pequena Noa veio ao mundo há poucos meses e para celebrar a sua chegada fiz-lhe um pequeno miminho para mais tarde recordar. Nele a mamã vai poder guardar pequenas grandes lembranças e memórias de dias muito felizes. São quatro caixas pequeninas dentro de uma maior para tudo guardar, todas pintadas à mão.

Pintura acrílica em madeira


segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Festa de chá

A mesa de doces
A mesa
Queques de iogurte
Queques com pepitas de chocolate
O Bolo (Bolo de amêndoa)

A escola começou, tarde e a más horas, mas começou e a princesa ainda não estava satisfeita com as comemorações do seu aniversário. Esta mãe sugeriu um chá de princesas, só para algumas meninas assim poderíamos fazer algumas actividades engraçadas. A festa de chá serviu de pretexto para as miúdas se juntarem e poderem usar e abusar do verniz, do batom, das sombras e dos colares e ainda brincar às princesas em frente a uma chávena de chá. Foi giro, elas ficaram encantadas com a possibilidade de usar maquilhagem sem que as mães entrassem em histeria, eu compreendo as mães, mas este como as sábias mães disseram era um dia especial. E foi muito especial, elas divertiram-se imenso.

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Foi num dia desinspirado

Era um daqueles dias em que a inspiração não nos favorece com a sua graça. Precisava de fazer uma sobremesa para o almoço de domingo, queria algo bom e fácil e nada me ocorria. Peguei no livro de receitas e fui folheando à procura de algo que me cativasse. E eis que quando já nada o fazia prever olhei primeiro para o nome e depois para os ingredientes e estava encontrado o eleito. Além de ser muito fácil de fazer é divino, a lima realmente faz toda a diferença. Não costumo comprar limas, pois para além de caras não encontrava muita utilidade para as ditas e estas estavam lá em casa porque em tempos eu quis fazer algo, que agora não me lembro e não era caipirinha, e com certeza que levava lima, ou então não estariam por lá. Mas elas lá estavam, ainda sem um fim à vista, até aquele momento iluminado. 
O bolo é óptimo, húmido quanto baste e macio. Os dias não o deixam pior antes pelo contrário, claro está desde que em recipiente fechado. É sem dúvida um vencedor cá em casa, todos gostaram em especial o marido. Combina com chá ou café ou mesmo com um copo de leite. É simplesmente perfeito. Não fiz a cobertura porque simplesmente não me apeteceu, talvez numa próxima oportunidade. E sem mais delongas aqui fica a receita.

Pound cake de lima

Pound cake de lima

Ingredientes

  Bolo
  • 3 chávenas de farinha
  • 1/2 c. chá fermento
  • 1/4c. chá sal
  • 1 chávena manteiga sem sal
  • 1/2 chávena margarina
  • 3 chávenas de açúcar
  • 6 ovos
  • 1 chávena de leite
  • 1c. chá extracto de baunilha
  • 1c. chá raspa de lima
  • 1/4 chávena sumo de lima
  Cobertura
  • 1 1/2 Chávena açúcar em pó
  • 3 c. sopa de sumo de lima
  • 1/2 c. chá extracto de baunilha
Preparação

Pré aquecer o forno a 170ºC.
Untar e polvilhar uma forma de bundt.
Numa taça misturar a farinha, o fermento e o sal e reservar.
Na taça da batedeira, bater a manteiga e a margarina em velocidade média até ficar cremoso.
Adicionar o açúcar gradualmente até ficar fofo e cremoso. Acrescentar os ovos um a um mexendo entre cada adição apenas para homogenizar.
Acrescentar a farinha alternando com o leite, começar e terminar com a farinha.. Bater em velocidade baixa.
Adicionar a baunilha, a raspa e o sumo de lima e misturar.
Verter na forma e levar a cozer 1 hora ou até o palito sair seco.
Depois de pronto deixar 10 a 15 minutos na forma antes de desenformar.

Colocar no parto de serviço e cobrir.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

O baile de máscaras da Princesa

Convite festa de aniversário e pormenor - Tema: Máscaras

Bolo
Não há criança que não goste de ter uma festa de aniversário e a minha princesa não é excepção. Ela acha que tem pouca sorte por fazer anos em Agosto quando todos os amiguinhos estão de férias. Esta mãe tenta apaziguar as águas, tal qual o profeta, desdobrando-se e preparando pequenos lanches convívio com os amigos disponíveis. Este ano a princesa queria mascarar-se de princesa bailarina na festa e eu achei a ideia gira, vai daí fiz um mega convite para colocar na porta do ATL e convidar os presentes a entrar na festa. A maior parte dos miúdos adora a possibilidade de ser outra pessoa nem que seja por apenas algumas horas e só isso já foi sucesso garantido. Houve balões e bolo e sumos e princesas e heróis e cantorias e tudo e tudo. 
Ela estava feliz, e ria e dançava e cantava e esta mãe apesar de cansada estava igualmente feliz por ver o tamanho do sorriso que a princesa tinha estampado no rosto mas sobretudo o brilho nos seus olhos.
O bolo foi recheado e coberto com creme de queijo e decorado com flores de pasta de açúcar de várias cores e tamanhos. A coroa (claire's) e as velas (arte e açúcar) deram o toque final.

Creme de queijo

Ingredientes

  • 1 embalagem de queijo creme Philadelphia à Temperatura ambiente
  • 1 pacote de natas
  • Açúcar em pó a gosto

Preparação

Bater as natas bem firmes.
Bater o queijo até ficar fofo, adicionar as natas e o açúcar a gosto e bater para homogenizar.
Colocar no frigorífico antes de usar.
Pode servir como recheio e ou cobertura.

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Pulseiras

Pulseiras de madeira

Eu não sou miúda de pulseiras, colares ou brincos. Simplesmente quase não uso e quando isso acontece são muito simples e discretos tirando os meus brincos à rainha que herdei da avó e que eu adoro. A minha mana é mais vistosa, gosta dessas cenas de pulseiras e coisas e eu resolvi fazer-lhe uma que combinasse com o vestido que a mãe fez, e depois mais algumas em diferentes tons e motivos. O resultado foi surpreendente, até eu gostei, apesar de não achar nada prático. Ela gostou das diferentes espessuras e cores. O que se arranjou até que nem estava nada mal. mas acabaram-se as pulseiras, já dei para esse peditório.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Flores aos montes



A minha mãe, mulher extraordinária, com uma força sobre humana e de coração gigantesco merece tudo, tudo mesmo. Eu ofereci-lhe flores, um monte delas feitas por mim com uma mãozinha da minha extraordinária professora de pintura.

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

E passou a correr


O fim de semana passou num ápice, foi curto, com chuva mas ainda morno, com um sábado preenchido com as muitas actividades que os miúdos têm. No entanto o domingo entre um chuveiro e outro, ainda deu para que ela, finalmente, aprendesse a andar de bicicleta sem rodinhas, agora já só falta aprender a fazer as curvas sem se estatelar! Ele passou horas de volta do novo software de fazer vídeos para publicar na net. Não falava de outra coisa e com aquele brilho nos olhos de absoluta delícia. Houve bolo e pão doce para o lanche e entretanto os avós chegaram para prestar a sua inestimável ajuda a esta família enquanto o papá cá de casa se ausenta a trabalho. E passou a correr! Venha o próximo.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Trazer o Outono para dentro de casa

E como se avizinha a chuva para o fim de semana que aí vem, em particular em dia de eleições, que venha um inferno desconhecido que do conhecido eu já estou mais que farta, ficam aqui mais uma fotos para que se entusiasmem e encham a casa de Outono. Estou com muitas ideias mas falta-me o tempo para as concretizar.
Adoro as abóboras na sua variedade de tamanhos e feitios, já para não falar das bolotas que são giras giras e também adorei os ouriços e as velas claro está.
Tenho que procurar abóboras de louça ou plástico para pintar e decorar, gosto da ideia de personalizar as ditas.
Ora apreciem estas ideias.



quarta-feira, 30 de setembro de 2015

O Outono a chegar de masinho

As madrugadas e as noites estão mais frias. Os dias a encolher e apesar de São Pedro nos presentear com dias ainda quentes, certo é que o Outono está aí. E gosto destes dias a encolher, da frescura das manhãs e dos finais de tarde, o cheiro da vindima e o milho a secar na eira, as cores que pintalgam as árvores anunciam que o Inverno está achegar. Para celebrar a chegada de mais uma estação fiz uma pesquisa no Pinterest para me inspirar e gostei de tantas das coisas que vi, que o difícil foi escolher o que trazer para aqui. Só um pequeno vislumbre da infinidade de possibilidades.


O milho e as abóboras trazem o Outono para dentro de casa e as velas fazem lembrar dias frios, como adoro um serão no quentinho à luz das velas.


Mas também é possível trazer o Outono para casa sem velas! As abóboras já são mais fáceis de encontrar e em diversas formas o que ajuda aquelas que como eu não têm muito jeito para arranjos ornamentais, assim basta juntar duas ou três variedades e a coisa até que nem fica nada má. Tenho que ir à apanha da bolota com os miúdos antes que venha por aí a chuva.


E é isto, espero ter trazido um cheirinho a Outono e a vontade de trazer o Outono para dentro de casa. 

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Viana é amor


Fiquei, e ainda estou, de peito inchado de tanto orgulho ao ver esta fotografia da fotógrafa portuguesa Diana Mota e que foi publicada na capa da Vogue Itália. Fotografia intitulada "Viana é amor" e onde se recria o traje da lavradeira de Viana. 
Lembrando Amália Rodrigues, "Amor havemos de ir a Viana".

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

E o mundo fica pintalgado com as cores de outono


As férias já findaram faz tempo. E esse, o tempo, é que escasseia de tal maneira e não me tem permitido escrever neste meu cantinho. Já tinha tantas saudades. 
Haverá em breve mais fotografias de alguns trabalhos há muito terminados mas em falta na publicação. 
Hoje escrevo só para dizer que me cheira a Outono, a terra molhada e às noites frescas e a vindima. Já apetece o aconchego no sofá com os pequenos e a comida de forno. O chá quentinho a meio da tarde com uma fatia de bolo ainda morna. Eu já estou no Outono, e estou a gostar.

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Até já ...


Esta que vos vai escrevendo de quando em vez vai a banhos com aqueles que me fazem feliz. 
Esperam-se dias de muito sol, praia, descanso e tudo mais que nos apetecer.
Até breve.

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Festa da História


Outro evento a não perder é a Festa da História, a realizar em Vila Nova de Cerveira. Usando as palavras da página da Agenda Municipal fica aqui um cheirinho do que espera o visitante ao entrar neste lugar mágico. 

"Transformando o centro histórico da ‘Vila das Artes’ numa viagem ao passado, este ano, a Festa da História leva-nos ao encontro de uma época onde o obscuro e as crendices imperavam com actos de bruxaria procurando a salvação das pestes que dizimavam comunidades inteiras.
“A Idade das Trevas” recorda que o poder religioso prevalecia sob a forma de protecção espiritual, estando a seu cargo a transmissão de educação e de cultura, unicamente acessível a clérigos e nobres que aprendiam latim, doutrinas religiosas e tácticas de guerra."

A maior Romaria do País


Não só a maior mas também alegre, colorida e bem disposta, assim são as festas da Sra  da Agonia em Viana do Castelo.
Para saber mais sobre o programa das festas é só clicar AQUI.
Vale mesmo a pena dar um pulinho a Viana!

quarta-feira, 24 de junho de 2015

As melhores mães do mundo

Adorei este artigo. Na maior parte do que foi dito parece que estou a olhar um espelho. É tão assim. Tão depressa saem da boca de uma mãe dois berros como um meu amor. 

(Advertência: Este texto não deve ser lido por todas as pessoas! É exclusivo e recomendado só para aquelas que serão, muito provavelmente, as melhores mães do mundo.)

Não, não é verdade que as mães sejam serenas, macias e bucólicas, quase sempre. E que, seja diante do que for, reajam num tom ameno, almofadado e cheio de açúcar, sem sequer gritarem, esbracejarem e esconjurarem todos os descuidos que, sempre que elas são dedicadas e atentas, abundam numa casa. As mães saudáveis têm o direito (milenar!) a esganiçar-se, sim senhora! (Aliás, mães esganiçadas são um património imaterial da Humanidade; como se sabe.) E têm o direito a ameaçar que, um dia, se vão embora e “aí sim, vocês vão ver a falta que vos faço!”. E por mais que não esperem que ninguém as leve a sério, como é óbvio, agradeciam que toda a gente da família ficasse, pelo menos, em... estado de choque (!!!) diante de um grito como esse, em vez de permanecer em silêncio – entre o divertido e  uma atitude do género: “Ela fica tão gira quando está com mau génio!” – como se nada, na gritaria duma mãe, valesse para o que quer que fosse! Aliás, as mães (saudáveis, é claro) estão fartas e saturadas da sua função de mãe nunca ter nem domingos nem feriados! Nem ser considerada para efeitos de reforma, de banco de horas – a reverter em seu favor, aos fins de semana - ou com mais dias de férias, como devia ser!Afinal, quem é que levanta as crianças, todos os dias, e se dispõe ao papel (maléfico!) de as proibir de dormir mais cinco minutos, e se esgadanha contra os seus dedos papudos que reclamam “mais desenhos animados já!”? E quem é que as apressa a vestir e as obriga a engolir o pequeno almoço, quase sem respirar? E quem é que as intima a lavar os dentes (depressa!), antes de as ameaçar que vão de cuecas para a escola se não descerem (a correr!) para o carro para que, depois de esbracejarem contra o trânsito, irem numa correria deixar a miudagem, que cansa, só de ver? E quem é que deve sofrer de dupla personalidade e, depois dos ataques de nervos  de todas as manhãs, passa da fúria de leoa à maior de todas as ternuras e pespega um beijo inimitável, e dá um sorriso cheio de luz, e abraça, e diz “a mãe ama-te tanto!!!!”, enquanto aconchega os caracóis, e chama “príncipes” e “princesas” a crianças normais e ensonadas?  As mães!E quem é que sai mais cedo do trabalho e, cidade acima/cidade baixo, anda numa “roda viva” entre a escola, a piscina, o inglês, o futebol e a música, e transforma o porta-bagagens dum automóvel numa parafernália de mochilas, flautas, chuteiras, lanches, touca, toalha e óculos, e ainda tem tempo para as perguntas mais tolas que só as pessoas bondosas conseguem fazer (como, por exemplo: “ Como é que correu a escola?” ou “O que foi o almoço”) e – oh canseira! – fica parecida com a Cruela sempre que uma criança responde: “correu bem” ou “não me lembro”?... As mães!E quem é que, depois do trabalho, barafusta o tempo todo contra os trabalhos de casa mas que, ainda assim, franze a sobrancelha e – com um orgulho mal disfarçado – diz, num tom solene mas, todavia, aconchegado: “Eu não sei como é... Se eu não estiver sempre ali ao pé, ele não faz nada!...”? As mães?E quem é que tem a mania de dizer: “O meu filho não gosta de ser contrariado!” para justificar as 200 vezes que se chama uma criança para saltar para o banho, as outras 200 que são precisas para a convencer a deixar os desenhos animados para vir jantar, não esquecendo mais 200 suplementares em que  repete, devagarinho: “Come a sopa!” e acaba a ribombar: “Despachas-te ou não?...” antes de lhe dizer: “Abre lá essa boca, já!” (enquanto despeja as últimas colheres de sopa pelas goelas dum filho)? As mães!E quem é que, diante do lado mais demagógico duma criança (quando diz “Eu não sei” ou – “à Calimero” – se lamenta: “Eu não faço nada bem feito”) começa devagarinho: “Oh, meu pequenino: não sejas pateta... Vá... A mãe gosta tanto de ti!...” e, quando os interessados esperariam que em direitos adquiridos nunca se mexesse, e insistem só com mais um “não sou capaz” (é só mais um...) acaba a berrar, num tom amigo dos trovões: “Mas onde é que tu tens a cabeça?...” As mães!E quem é que faz o jantar, e tem a mania de achar que a sopa é importante, e que o peixe torna as crianças inteligentes, e que os vegetais fazem os meninos crescer, e as cenouras tornam os olhos bonitos, e as batatas fritas não prestam, e que a Coca-Cola torna as crianças mais redondinhas, e que o açúcar faz cair os dentes, e não deixa comer bolachas antes do jantar, nem pizza dia sim/dia sim? As mães!E quem é que, enquanto apanha os brinquedos que se atropelam pelo chão, mais a roupa que se amontoa na cadeira, mais a outra que se escondeu, (por iniciativa própria, logo se vê...) atrás do armário, e fiscaliza a mochila e os cadernos, e põe a roupa, esticadinha, para o dia que lá vem, e descobre pacotes de leite vazio onde não deviam estar, e embalagens de bolachas que – vá lá saber-se porquê – se refugiam no quarto das crianças, e enquanto arruma tudo, um dia atrás do outro, repete e repete e repete: “Mas será que tu nunca arrumas nada, é?..”  E quem é que nos seus piores dias de arrumadeira, pergunta, com um desvario quase sindical: “Mas achas que há empregadas cá em casa, é?...” As mães!E quem é que vai à escola e, enquanto conversa com as outras mães sobre os caprichos das crianças (como se fossem toques muito pessoais que a personalidade “muito vincada” de cada uma as leva a ter) se prepara para ser repreendida, por alguns professores, e tem de ouvir: “ Mas... está tudo bem lá por casa?” (sempre que as crianças acham enfadonhas muitas aulas, por exemplo) ou, nas alturas de pior karma, é advertida para a necessidade de dar mais apoio à pequenada “porque eu tenho 28 alunos e não chego para tudo?...” As mães!E quem é que não perde a compostura e, antes de fingir que deita os olhos para a televisão, enquanto pestaneja, ainda se esparrama na cama e conta histórias e, para se desintoxicar do papel de “chata oficial lá de casa”, sente que aqueles minutos de namoro, antes do sono, são os únicos em que não tem de ser mandona e refilona e tudo o mais que toda a gente espera que só as mães consigam ser e, quando dá conta, adormeceu, mais outra vez, na cama de um dos filhos, e é repreendida (e muito bem...) por esse desvario? As mães, claro.Mas, afinal, o que é querem mais das mães? Que elas não se esgotem? Que não exijam ter o direito a ser mimadas e, por mais que ninguém diga isso, que queiram, pelo menos, mais um miligrama de amor e outro de carinho do que aqueles que as crianças dão ao pai? E que não sejam vaidosas? E que sejam discretas e se anulem com se o aquilo que mais desejassem é que ninguém desse por elas?Por isso mesmo, que em relação a tudo o resto seja “ano nova, vida nova”, ainda vá. Mas em relação ao jeito muito especial de todas as mães eu espero é que nada deixe de ser como é. É claro que ninguém tem dúvidas que as mães “estragam” as crianças, sim! Mas que não haja quem ouse imaginar que as queremos doutro modo. Nós – os filhos, os pais e os avós, todos juntos, adoramos – no fundo – que elas sejam assim!

terça-feira, 9 de junho de 2015

Porque lembrar é preciso

Infelizmente o Povo Português, ou melhor, uma parte dele sofre de problemas de memória e na classe política essa doença é muito mais acentuada, chega a ser crónica. Para relembrar fica aqui mais um texto do Nuno Serra do blog Ladrões de bicicletas que permite confirmar que afinal não se trata de um "mito urbano". A entrevista pode ser vista bastando para isso clicar no link do youtube.

Memória (IV)


«Jornalista: Não se trata de uma contradição, quando o senhor incentivou tantos jovens a irem precisamente procurar emprego no estrangeiro?

Passos Coelho: Há uns quantos mitos urbanos, não há? Um deles é o de que eu incentivei os jovens a emigrar. Eu desafio qualquer um a recordar alguma intervenção ou escrito que eu tenha tido nesse sentido.» (Junho de 2015).

«Jornalista: Por exemplo, os professores excedentários que temos, e temos muitos, o senhor primeiro-ministro aconselhá-los-ia a abandonarem a sua zona de conforto e procurarem emprego noutros sítios?

Passos Coelho: Angola - mas não só Angola, também o Brasil - tem uma grande necessidade, ao nível do ensino básico e do ensino secundário, de mão-de-obra qualificada, e de professores. Nós sabemos que há muitos professores em Portugal que não têm nesta altura ocupação. E o próprio sistema privado não consegue ter oferta para todos. Nós estamos com uma demografia decrescente, como todos sabem, e portanto nos próximos anos haverá muita gente em Portugal que, das duas uma: ou consegue, nessa área, fazer formação e estar disponível para outras áreas; ou querendo-se manter sobretudo como professores podem olhar para todo o mercado de língua portuguesa e encontrar aí uma alternativa. Isso é perfeitamente possível.» (Dezembro de 2011).

A transcrição das perguntas e respostas não dispensa a visualização dos excertos das entrevistas, que a Shyznogud em boa hora compilou. De resto, duas notas adicionais (relativas à entrevista de 2011):

a) A facilidade com que o jornalista papagueia, sem pestanejar, a ideia de que temos «professores excedentários, e temos muitos»;
b) A invocação, pelo primeiro-ministro, do fantasma demográfico, da tal «demografia decrescente», para justificar o despedimento massivo de professores que a maioria de direita levou a cabo nos últimos anos.

Para que a realidade dos factos prevaleça, e a propaganda não leve a melhor, vale a pena recuperar umas contas que aqui fizemos: entre os anos lectivos de 2010/11 e 2012/13, a diminuição, em cerca de -14 mil, do número de alunos matriculados (crianças e jovens), foi inferior à redução verificada no número de professores, a rondar os -23 mil. Ou seja, no período em apreço (que não reflecte ainda os dados mais recentes), o sistema perdeu mais docentes que alunos. Como ilustração do «factor demográfico» e do «excesso de professores» em Portugal, estamos pois conversados.

A Maioria sorri de quê?

João Ramos de Almeida do blog Ladrões de bicicletas escreveu assim ...

Há dias, o INE divulgou as estatísticas das empresas que abrangem o ano de 2013.

Conviria ter dados mais recentes, para ser possível fazer um balanço do Memorando, já que a Maioria sublinha apenas os aspectos que lhe convém - redução do défice orçamental e regresso aos mercados. E omite todo o resto da realidade que deixou, após uma fria estratégia de aplicação de uma agenda de mudança rápida,  a mata-cavalos, da sociedade portuguesa. Algo muito próprio das cabeças de Vítor Gaspar, Jorge Braga de Macedo e António Borges. 

Olhemos então pelos olhos das empresas, já que esse sempre foi o lema da Maioria. Tudo para as empresas, nada contra as empresas, porque delas viria o emprego e a felicidade futura.

Fonte: INE Empresas em Portugal 2013 e 2012; valores em milhares de euros

Considerou-se os dados de 2008 a 2009, de crise internacional, e de 2011 a 2013, período de aplicação do Memorando de Entendimento. Não se considerou no gráfico o ano de 2010 porque, segundo os valores das estatísticas - e isso até é interessante - trata-se de um ano de retoma dos valores da crise. E se somado aos anos da crise internacional desinflacionam fortemente o seu efeito.
Apesar de pertencerem às mesmas estatísticas, os dados para os mesmos anos diferem de publicação para publicação, pelo que se considerou os dois períodos surgidos na mesma publicação e tomou-se apenas as variações entre cada ano.  


Eis as igualdades que convém ter em atenção:

(1) Valor Acrescentado Bruto (VAB a custo de factores) = Produção - Consumos intermédios - Impostos+Subsídios
(2) Excendente Bruto das Empresas (EBE) = Produção - VABcf - Gastos com pessoal - Impostos+Subsídios
(3) EBE = Produção - Consumos intermédios - Gastos com pessoal

Ou seja: é possível estabelecer uma relação entre a variação dos Excendentes das Empresas e as variações da Produção, dos Consumos Intermédios e dos Gastos com Pessoal. Como se pode ver, os Excedentes das Empresas descem se a Produção desce e se os Consumos Intermédios e os Gastos com Pessoal sobem. Por outro lado, os Excedentes sobem quando a produção aumenta e quando os Consumos Intermédios e os Gastos com Pessoal diminuem. 

Agora veja-se o que fez o Memorando, precisamente depois de uma fase de crise económica:

1) No período do Memorando, os Excedentes das Empresas caíram ainda mais do dobro do que tinham caído durante a crise internacional - de -10% para -20%; 

2) Essa quebra parece ter se ficado a dever ao maior afundamento da Produção (-10,5% de 2011 a 2013, contra -5,4% em 2007/9), possivelmente explicado por uma quebra da procura.  

3) Por outro lado, a quebra violenta nos Excedentes de Empresa no período do Memorando verificou-se apesar da quebra de 10,7% nos Gastos de Pessoal e de 7,6% nos Consumos Intermédios;

4) Quando calculadas as variações em montante para os Consumos Intermédios, verifica-se que se, em 2008, as empresas ainda adquiriram esses consumos bem acima dos valores de 2007, a partir daí as compras diminuíram ano após ano. O ano de 2009 sofreu uma quebra abrupta, mas em 2010 recuperou bastante. Já no período do Memorando, o ano de 2011 ainda registou uma subida na compra de consumos intermédios, para depois afundar. Feitas as contas acumuladas, os valores das variações são semelhantes nos dois períodos, o que indicia não ter sido esse consumo a explicar a queda dos Excedentes das Empresas e que mantiveram os seus valores apesar da quebra acentuada da produção entre 2011/13. 

5) A queda dos Gastos com Pessoal ficou a dever-se a um despedimento do Pessoal ao Serviço muito superior no período do Memorando do que no da crise internacional. Se o número de pessoal ao serviço desceu 0,9% de 2007 a 2009, já durante a aplicação do Memorando a quebra foi de 9,5%! Só em 2010, foram 95 mil pessoas que perderam o emprego.  


6) As duas fases não se comparam em termos de devastação no número de empresas. Enquando de 2008/09 desapareceram cerca de 91 mil empresas, no período do Memorando, verificou-se ainda a desaparição de mais 48,8 mil empresas. Só em 2010, desapareceram 54,4 mil empresas. 

7) No ano de 2010, já fruto das intervenções de combate à crise, incentivadas pela Comissão Europeia, os Excendentes das Empresas tiveram, face a 2009, uma variação positiva de 300 milhões de euros. A produção subiu 11,2 mil milhões de euros, os gastos com pessoal subiram 500 milhões de euros. Em 2013, face ao abrandamento (ou estabilização) da austeridade, à redução da poupança das famílias e das empresas (ver contas nacionais financeiras), os resultados começam a ressurgir. E com eles, o regresso do défice externo comercial.

Esta é a face da ideia peregrina de que era necessário deixar cair rapidamente as más empresas, purificar o tecido produtivo, para fazer renascer uma economia nova. Quem acreditou nesta fé deve estar muito decepcionado com o regresso em 2014 e 2015 da velha economia. Mas a desilusão deve ser proporcional ao silêncio cúmplice do falhanço. E à tentativa de fazer passar como frutos seus, aquilo que, na verdade, é o falhanço da filosofia adoptada desde o início pela Maioria. E daí o vacuidade do programa eleitoral da Maioria. Apenas pessoas pouco sérias poderiam considerar boas notícias o que é o enterro do pensamento económico da Maioria.

Onde ficou a ideia de que o Memorando ia mudar a economia portuguesa?

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Em nome da verdade



Para que a verdade não seja deturpada pelos meios de comunicação social submissos que proliferam por este país eis que surge uma voz que não quer deixar calar a verdade dos factos. Porque a Grécia e o povo grego merecem acima de tudo respeito.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

E porque estragar é pecado ...

Comprei umas bananas que ficaram super maduras em dois dias. Cá em casa existe uma aversão a bananas maduras eu simplesmente detesto. Como sou do tempo em que se afirmava que estragar é pecado resolvi dar-lhes utilidade fazendo uns muffins para os miúdos. Ela simplesmente detestou ele adorou. Tão diferentes que são os meus pimpolhos! Os muffins são super fáceis de fazer e não ficam muito doces. São óptimos para o lanche e ele adora poder levar um para o lanche da escola, ela já se sabe, nem pensar belhec.
Aviso desde já que não ficam muito doces, os mais gulosos podem acrescentar um pouco de açúcar.

Muffins de banana e iogurte
Ingredientes
  • 1 chávena de farinha de trigo
  • 1 Chávena de farinha integral
  • 1 c. chá de fermentop em pó
  • 1/2 Chávena defarelo (usei flocos de aveia)
  • 1/2 Chávena de açúcar mascavado escuro
  • 1/4 Chávena de caramelo líquido
  • 100g de manteiga
  • 3/4 de chávena de iogurte natural sem açúcar (usei grego)
  • 1/4 Chávena de leite
  • 1 c. chá de bicarbonato de sódio
  • 3/4 Chávena de banana esmagada
Preparação

Pré aquecer o forno a 180ºC.
Peneirar as farinhas e o fermento para uma tigela. Juntar o farelo e o açúcar e misturar.
Deitar o caramelo líquido e a manteiga numa caçarola. Aquecer em lume brando até derreter.. Tirar do lume. Adicionar o iogurte, o leite e o bicarbonato e mexer. Deitar esta mistura sobre os ingredientes secos e adicionar a banana. Misturar até humedecer a massa.
Encher 3/4 das formas previamente untadas e deixar repousar 5 minutos.
Levar ao forno até estarem cozidos.
Deixar arrefecer um pouco na forma antes de desenformar.
Polvilha-se com açúcar em pó.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Festa de Aniversário Feras e Heróis - O Bolo



Terminados os festejos do aniversário do meu príncipe eis que surgem em jeito de retrospectiva os bolos de aniversário. Este ano só fiz dois! Um dos bolos é uma combinação entre bolo de chocolate e chiffon de limão e o outro um casamento perfeito entre um bolo de espinafres e um bolo de morango. Ambos foram cobertos e recheados com creme de queijo, muuuuiiito creme. Hoje deixo a receita do bolo de morango. Não coloquei corante por isso não ficou rosa sequer, os morangos não deram grande cor. Para a próxima coloco umas gotinhas.
O bolo verde o pai achou amaricado mas esta mãe estava sem inspiração nenhuma, já no outro tive uma epifania e lembrei-me que existia um dragão cá em casa, abençoada playmobil! Juntei pasta americana, formas e umas letras e habemus bolo. Ele adorou. Ficou giro e saboroso

Bolo de morango

Ingredientes
  • 3 chávenas de açúcar
  • 1 cháv. manteiga sem sal
  • 6 ovos L
  • 3 cháv. farinha
  • 3/4 cháv natas light, -70% gordura
  • 1 chávena de molho de morango
  • 1 c. chá fermento
  • 1/4 c. chá sal
  • 1 c. sopa de extracto de baunilha
  • Corante alimentar vermelho, facultativo
Preparação

Preparar o molho de morango. Juntar açúcar e morangos numa panela e levar ao lume até que os morangos fiquem desfeitos. Deixar arrefecer.
Untar e polvilhar a forma.
Pré aquecer o forno a 170ºC.
Numa taça peneirar a farinha com o fermento.
Na taça da batedeira bater a manteiga e o açúcar até ficar cremoso.
Adicionar os ovos 1 a 1 batendo entre cada adição.
Acrescentar a mistura de farinha, alternando com as natas, começando e terminando com a farinha.
Adicionar por fim a baunilha e o molho de morango frio e mexer bem.
Vai ao forno durante 1 hora ou até que o palito saia seco.
Deixar arrefecer dentro da forma sobre a rede 20 minutos a meia hora e só depois desenformar.
Decora-se a gosto.

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Folhados de salsicha

Abril é o mês dos aniversários cá por casa. Excepção feita pela princesa que festeja já o Verão vai alto, em Abril é um rosário de festas, bolos e bolinhos. Ele são festas com os amigos da escola, do futebol, dos amigos dos papás, festas e festas e festas. Estou cansada. 
Filho grande já não quer balões, nem banners, nem cenas de decorações. Quer brincadeiras e jogos com os amigos. Este ano o pai organizou uma busca pela mata que era suposto demorar uma hora mas arrastou-se por uma hora e meia e os deixou de rastos. Vinham todos cansados mas satisfeitos e esfaimados. Os folhados de salsicha, a pizza já para não falar da limonada que faz sempre sucesso, simplesmente desapareceram. A receita da limonada já partilhei aqui. Hoje deixo os folhados de salsicha que fazem sempre sucesso entre a pequenada e não só, e são super rápidos e fáceis de fazer.

Folhados de salsicha

Ingredientes
  • 1 lata de Salsichas
  • 1 embalagem de massa folhada fresca
Preparação

Forrar um tabuleiro com papel vegetal.
Pré aquecer o forno a 220ºC.
Cortar a massa folhada em triângulos. 
Cortar as salsichas em bocados um pouco maiores que a base do triângulo.
Enrolar a salsicha começando na base do triângulo e terminando no vértice.
Colocar os rolinhos no tabuleiro e levar ao forno até ficarem dourados.
Servir de imediato.

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Promessa cumprida



O Pai Natal trouxe à princesa um serviço de chá de louça. Mas a pequena andava faz tempo agastada, acho esta palavra engraçada, com o facto de não poder servir o chá como deve de ser, faltava-lhe o tabuleiro. Esta mãe fez uma promessa, que lhe pintava um com o motivo do serviço, as personagens do filme Frozen. Escolhi a personagem mais fácil de pintar e uma das minhas favoritas, o Olaf. Ficou um doce. O tabuleiro foi ela que o escolheu, a madeira é bem fracota mas a sua forma é linda. Deu mais trabalho a lixar e a dar a base do que a pintar o boneco.
Sim eu sei que demorou um pouco, mas esta mãe tem muitas coisas para fazer e definitivamente este tabuleiro não era uma prioridade. 

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Brincos de Princesa





A minha irmã queria uma caixa para colocar os anéis, pulseiras, brincos e colares que tem, a primeira que lhe fiz já não tinha espaço para albergar todas as "jóias", esta nova teria que ser maior, mas não demasiado, para caber no local que lhe destinara. E assim foi, uma caixa um pouco maior, pintei-a com um tom claro, cinza e acrescentei uns brincos de princesa. Gosto do resultado. Ela também gostou

terça-feira, 14 de abril de 2015

Personalizado

Argolas para guardanapos

Gosto de uma mesa posta com guardanapos de tecido e quando temos a visita dos avós considero que esta é uma excelente oportunidade para o fazer. Apeteceu-me fazer argolas de guardanapos pintadas por mim e que tivessem um pouco da cor do meu serviço,  Adorei o resultado. Todas as argolas são personalizadas com as iniciais de cada um dos elementos desta casa e a letra A para o avô e para a avó. 
Não poderia deixar de dar os créditos a quem os merece, as letras foram pintadas pela D. Céu, professora e mestra de mãos de fada. O pincel nas mãos da professora ganha vida ambos são um só, parece que dança, eu sua aluna apenas me limito a aprender o melhor possível sem a mais pequena pretensão de algum dia ser capaz de me unir ao pincel.

segunda-feira, 13 de abril de 2015

O convite para a festa das feras

O aniversário do meu príncipe aproxima-se a passos largos e o tempo escasseia perante tantas coisas que ainda há para preparar, isto é, quase tudo.
No entanto no que aos convites diz respeito, esses pelo menos já estão feitos e entregues. Espera-se que São Pedro colabore e não chova. Não preciso de muito calor apenas tempo seco e agradável. 
Voltando aos convites, este ano o tema é uma espécie de Feras e heróis e os convites naturalmente reflectem um pouco o tema. Como sempre querem-se convites simples, fáceis de executar e o mais económicos possível. Consegui atingir os objectivos, o preço, três folhas de papel e a impressão caseira ajudaram e muito. 
O aniversariante ajudou a colar os escudos castanhos, retirei o desenho da net, bem simples para ser fácil recortar, e escreveu o nome de cada um dos amigos em cada convite.
São únicos e muito fáceis de fazer.

Convites Aniversário, Feras e Heróis

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Dona Galinha


Este ano não estava com espírito de Páscoa por isso não houve ovos nem coelhos cá em casa veio sim a D. Galinha por quem me perdi de amores assim que a vi, branca e desmaleitada é certo mas com um enorme potencial. E dei-lhe roupagem adequada e um ar satisfeito e agora a D. Galinha faz parte da minha cozinha por enquanto ainda está recheada de amêndoas mas outros recheios se seguirão que farão as delícia dos pequenos, e não só, cá de casa.

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Era uma vez ...


... umas caixas de madeira que andavam lá por casa faz tempo, sem destino, sem eira nem beira. Um belo dia fez-se-me luz e ocorreu-me que seria uma boa ideia pintá-las para a minha pequenita. E em tons pastel como convinha e a chamar a Primavera vieram ao mundo. Simplicidade era o mote neste trabalho. Ela achou-as fantásticas e num acto de generosidade espontâneo resolveu oferecer uma à prima. Ambas ficaram encantadas, têm mais um recipiente para os seus tarecos e eu dei um fim às caixas que por lá andavam há mais de um ano. E assim ficamos todas felizes. Vitória, vitória acabou a história.

terça-feira, 7 de abril de 2015

Limpeza de Primavera


Estas mini mini férias já se foram, venham mais que esta aqui não se queixa de ter uns dias extra em família e tempo extra para tratar das coisas da casa. 
E agora, está mais que na hora de lavar a roupa quente e grossa, arrumá-la e substituí-la por outra mais leve e fresca. Estou a fazê-lo em suaves prestações que o meu tempo e o clima não dão para tudo.
Realmente, faziam falta uns dias em casa, os miúdos na escola e tempo para arrumar, organizar e lavar. Mas como não é possível lá terei que continuar com as minhas suaves prestações, um pouquinho todos os dias. Hei-de conseguir terminar mais cedo ou mais tarde. Ainda por cima os pinheiros das redondezas estão a produzir mais pólen que o habitual, está por todo o lado.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Quando o pecado da gula nos assalta

Há dias em que nos apetece uma sobremesa, eu infelizmente tenho vários desses dias. Mas também há dias em que apesar de apetecer uma sobremesa não apetece muito perder muito tempo a fazê-la. É aqui que entra a tarte de requeijão. Há duas versões da dita, Vou deixar aqui a primeira que fiz, aprovada por todos os que tiveram o prazer de a degustar. A vantagem é que usamos massa quebrada de compra que poupa tempo. 

Tarte de requeijão e amêndoas

Tarte de Requeijão
Ingredientes
  • 1 base de massa quebrada refrigerada
  • 80g amêndoa moída
  • 200g de requeijão
  • 2 ovos
  • 70g de açúcar
  • 1 pacote de açúcar baunilhado
  • 1 limão 1c. café de sal
  • açúcar em pó q.b.
Preparação

Ligue o forno a 180ºC.
Desenrole a base da massa numa tarteira.
Torre as amêndoas picadas numa frigideira anti aderente e deixe arrefecer.
Entretanto bata o requeijão com os ovos, os açúcares, a raspa do limão e o sal até obter um creme.
Incorpore as amêndoas e deite o preparado sobre a massa.
Leve ao forno cerca de 40 minutos.
Depois der fria polvilhe com açúcar em pó.

segunda-feira, 30 de março de 2015

O primeiro tijolo

O príncipe da mamã está quase a fazer anos, está a ficar crescido o meu menino. Bateu uma certa nostalgia. Adiante.
E como habitualmente pensa-se em fazer uma festa de aniversário. Curiosamente e contrariamente ao habitual na primeira abordagem diz que não quer tema, nem nada, apenas fazer uma sessão de cinema com os amigos. Quem vai a uma suposta festa de anos para ver um filme?
Entretanto, lá deve ter pensado melhor no assunto, e mudou de ideias afinal quer um geocaching ou algo do tipo para fazer com os amigos. Assim é que é falar.
Começamos a "construção" da nossa festa, lançamos o primeiro tijolo. Os papás já se entusiasmaram com a ideia. Vale a pena fazer uma festa de aniversário com actividades. É divertido para pequenos e graúdos. Dá trabalho, lá isso dá, mas é bom saber que os miúdos e as miúdas gostam destas festas e actividades.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Os ovos, os coelhos e a Páscoa

As minhas viagens casa/trabalho e trabalho/casa são um pouco compridas e demoradas. Dão-me assim tempo para pensar. E numa destas viagens apercebi-me que a Páscoa estava quase aí. Eu até nem sou amante da coisa, acho-a triste, contrariamente ao Natal que é absolutamente fantástico sobretudo quando passado chez papa et maman. Perdoem-me os sogros mas não posso fazer nada. 
E falava eu da Páscoa, que estava a chegar e eu que ainda nem tinha colocado aqui umas fotos inspiradoras para motivar aqueles que como eu não apreciam assim muito a época. 
Trata-se apenas de uns arranjos simples com ovos ou flores que podem dar um ar mas Pascal à casa e pode ser que assim alegrem o espírito. O pinterest tem esta capacidade de dar belas ideias e sugestões. 
Resta a consolação que a próxima semana será um tudo mais pequena e que vou aproveitar para tentar ficar em casa o máximo de tempo possível.


segunda-feira, 16 de março de 2015

A Tilda da Inês

A pequena Inês queria um quadro para colocar na sua casa de banho. Sua mãe pesquisou e pesquisou e finalmente encontrou o tal perfeito para o local. 
Enviou-me o desenho desejado, uma boneca Tilda, e este foi o resultado. A mim parece-me bem, adoro a gaivota, vamos ver se ela gosta ou não.